F1 rejeita revisar não punição de Verstappen por manobra em Interlagos

Publicado em 19/11/2021 às 13:21

Compartilhe

© REUTERS/Amanda Perobelli/Direitos Reservados


Os comissários da Fórmula 1 rejeitaram nesta sexta-feira (19) um pedido da Mercedes para revisar a decisão de não penalizar Max Verstappen, da Red Bull, por um incidente com Lewis Hamilton no GP de São Paulo no último domingo (14).

Eles disseram em um comunicado antes do GP do Catar que, embora a Mercedes tenha apresentado novas e relevantes evidências em vídeo do Autódromo de Interlagos, elas não eram significativas.

“A posição do competidor (Mercedes) é que esta nova imagem fornece informações suficientes para que os comissários cheguem a uma conclusão totalmente diferente da anterior”, disseram. “No entanto, os comissários determinaram que a imagem não mostra nada de excepcional que seja particularmente diferente dos outros ângulos que estavam disponíveis para eles na época, ou que mude particularmente sua decisão…”

Para atender às condições para um Direito de Revisão nos termos do código esportivo, uma equipe deve apresentar evidências que sejam significativas, relevantes, novas e que não estivessem disponíveis antes às partes envolvidas.

O sete vezes campeão mundial Hamilton venceu a corrida em Interlagos no último domingo (14), reduzindo a liderança geral de Verstappen para 14 pontos, faltando três corridas para o final.

A dupla saiu da pista na volta 48 do GP, quando Hamilton tentou ultrapassar e Verstappen espalhou na curva em um movimento que a equipe Mercedes, equipe de Hamilton, sentiu que deveria ter ocasionado uma penalidade de tempo para o jovem holandês.

Se a decisão fosse revisada e Verstappen punido, o holandês poderia perder parte dos pontos conquistados na corrida.

Os comissários tomaram nota do incidente durante a corrida, mas concluíram que, com base nas provas que possuíam, nenhuma investigação era necessária.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse que a decisão era totalmente esperada.

“Queríamos iniciar uma discussão em torno disso”, disse ele a repórteres. “Acho que esse objetivo foi alcançado. Nós realmente não pensamos que iria mais longe.”

O chefe da Red Bull, Christian Horner, acredita que a decisão foi acertada. “Isso teria aberto a ‘caixa de Pandora’ em relação a um monte de outros incidentes que aconteceram naquela corrida”, disse ele.

Veja também

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes

107939

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz Guedes

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ministério oferece mais de 21,5 mil vagas para Médicos pelo Brasil

107935

Em relatório preliminar, deputado destina R$ 16,2 bilhões para orçamento secreto

107933

Nova proposta de reforma trabalhista quer proibir motoristas de app na CLT

107931

Pais de autor de massacre em escola de Michigan são presos

107929

Biden e Putin farão reunião sobre tensões na Ucrânia

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Brasileiros devem redobrar cuidados no verão contra câncer de pele