Economia Criativa registra mais de 170 mil postos de trabalho no Espírito Santo

Publicado em 01/04/2023 às 15:08

Compartilhe

Economia-Criativa-registra-mais-de-170-mil-postos-de-trabalho-no-Espirito-Santo

O Espírito Santo encerrou o ano de 2022 com 171 mil pessoas ocupadas em atividades ligadas à economia criativa. O número representa cerca de 9% do total de trabalhadores ocupados no Estado. O segmento reúne cultura, design, arquitetura, artesanato, comunicação, gastronomia, eventos, tecnologia da informação, entre outras especialidades profissionais.

As informações fazem parte do Boletim Economia Criativa referente ao 4º trimestre de 2022, que foram apresentadas nesta quinta-feira (30), pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) em parceria com a Secretaria da Cultura (Secult). A publicação traz dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios – Contínua (PNAD-C), e acompanha o desempenho das principais variáveis do mercado de trabalho desse segmento no Espírito Santo e suas comparações com os demais estados e regiões do País.

“Essa parceria com o Instituto Jones dos Santos Neves, que produziu dados em torno da economia criativa, é de enorme importância para a Secult. A partir desses dados, podemos compreender melhor as demandas do setor e encaminhar nossas políticas públicas. Desde 2019, temos o programa de economia criativa, o ES+Criativo, com uma série de ações já realizadas e bons resultados. Este momento é uma ótima oportunidade para falarmos um pouco de nossas realizações e do que temos planejado para 2023”, explicou o secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha.

O diretor-presidente do Instituto Jones dos Santos Neves, Pablo Lira, destacou o caráter inovador da publicação, que permite oferecer um panorama sobre as atividades relacionadas à Economia Criativa.

“Essa publicação traz um rico diagnóstico das atividades ligadas à cultura, design, comunicação e tecnologia da informação, entre tantas outras que compõem o segmento. Estamos vivendo a era da inovação e a gente vê aqui no Estado um desempenho importante da economia criativa, especialmente nos segmentos das TICs, como a gamificação, o desenvolvimento de aplicativos e também soluções no campo das startups. São empresas que se originaram no Espírito Santo e estão fortalecendo o ecossistema da inovação trazendo resultados positivos na geração de emprego e renda”, pontuou.

Resultados

De acordo com a publicação, no quarto trimestre de 2022, 171 mil pessoas estavam ocupadas em atividades denominadas criativas no Espírito Santo. Isso representou um aumento de +5,4% em relação ao trimestre anterior. Na comparação interanual (quarto trimestre de 2021), houve variação negativa de 1%. Já a participação no total de pessoas ocupadas no Estado ficou em 8,6%, número próximo à média nacional, que é de 9,4%.

Em relação ao ranking de Unidades da Federação (UFs), o Espírito Santo apresentou o 10º maior percentual de trabalhadores ocupados nos setores criativos, ganhando nove colocações em relação ao trimestre anterior. O estado do Rio de Janeiro lidera com 12% das pessoas neste segmento, seguido por São Paulo, com 11,4% e Distrito Federal, com 10%.

Em termos de rendimento real recebido nas atividades criativas, considerado apenas o trabalho principal, ocorreu expansão de +4,9% em relação ao trimestre anterior e +1,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. A média de rendimento por trabalhador alcançou o valor de R$ 2.378,93 no 4º trimestre de 2022, deixando o Estado na 11ª posição na comparação com as demais UFs.

O estudo revela ainda que, das pessoas que atuam em segmentos criativos no Espírito Santo, 55,2% são empregados no setor privado e 36,1% trabalham por conta própria. Nesse último caso, é possível notar maior participação dos ocupados nessa condição em contraposição às demais atividades, classificadas como não criativas (23,6%). No referido trimestre, continua havendo uma participação maior de empregadores no segmento criativo em relação ao não criativo, registrando uma participação de 6,9% contra 4,3%, respectivamente.

Segundo o coordenador de Estudos Econômicos do IJSN, Antonio Freislebem, a Gastronomia foi o segmento que mais absorveu pessoas ocupadas na Economia Criativa. Ele afirma que o número chegou a aproximadamente 60% dos ocupados no setor em 2022.

Em relação ao nível de escolaridade, a maioria tinha Ensino Médio completo (35,4%), seguido por Superior completo (23,4%) e Fundamental incompleto (17,1%). Quanto a faixa etária, a distribuição segue estrutura semelhante aos demais segmentos da economia: entre 30 e 39 anos (23,4%), seguida por pessoas de 40 a 49 anos (22,1%). O destaque fica com a participação de dois grupos: jovens das faixas etárias de 18 a 24 anos e de 25 a 29 anos de idade, representando, respectivamente, 17,3% e 14,3% do total de pessoas ocupadas no setor, contra 11,9% e 10,7% de participação nos demais segmentos da economia.

ES+Criativo

O Programa ES+Criativo, da Secretaria da Cultura (Secult), conta com a participação de 15 instituições, entre órgãos públicos, representações do sistema produtivo e universidades. O programa articula ações entre os parceiros, visando desenvolver e fortalecer a economia criativa no Espírito Santo para impulsionar o crescimento de empreendedores e negócios criativos, a cultura local e incentivar a inovação e a criatividade.

Entre as ações de capacitação técnica e de gestão realizadas, estão: as Imersões da Cultura, Curso de Capacitação de Games, Cinema e Música e Negócios, o Edital de Cultura Digital, o Hub Criativo Virtual, que realizou oficinas de economia criativa e experimental em quatro localidades do Espírito Santo, o Programa de Pré-Incubação CoCreation Lab Espírito Santo, e as três edições da Festa da Criatividade, que contou com palestras, eventos culturais, seminários, cursos on-line de gestão e qualificação, atrações gratuitas, oficinas e debates,  ampliando assim a captação e uso dos instrumentos de fomento à economia criativa.

Outra ação de destaque é a instalação do Hub ES+, espaço de inovação que propõe experiências de espaços coworking, com investimento de mais de R$ 3,5 milhões. O Hub ES+ é um projeto que pensa num ambiente de inovação capixaba, voltado a iniciativas que atendam às necessidades da geração de negócios criativos e fortalecimento de empreendimentos. Resultado da parceria entre a Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), a Secult e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), a iniciativa faz parte do Programa ES+Criativo, do Governo do Estado.

O Boletim da Economia Criativa pode ser acessado em: http://www.ijsn.es.gov.br/artigos/6438-boletim-de-economia-criativa-4-trimestre-de-2022

Fonte: Assessoria de Comunicação do IJSN

Veja também

Corpo-de-mulher-encontrado-em-MF

Corpo de mulher é encontrado próximo ao Rio Jucu em Marechal Floriano

copa-futsal-feminino

Copa Verde de Futsal Feminino movimenta região das Montanhas Capixabas neste fim de semana

projetos-esportivos-dm

Projetos sociais esportivos em Domingos Martins oferecem vagas para crianças e jovens de 6 a 16 anos

dengue-em-mf

Marechal Floriano entra em alerta de alto risco com mais de 100 casos de dengue notificados

fungo-controlador

Estudo explica como um fungo pode controlar a principal praga que afeta o cultivo de milho

aedes-aegypti

Prevenção contra a dengue deve ocorrer também em propriedades rurais

saude-23-02-PMDM

Primeiras doses da vacina contra a dengue chegam a Domingos Martins

WhatsApp-Image-2024-01-24-at-13.56.47-2

O poder da comunicação ao promover a inclusão social