Cumbre Vieja: o que se sabe sobre os prejuízos causados pelo vulcão

Publicado em 05/10/2021 às 16:21

Compartilhe

99084


source
Vulcão Cumbre Vieja
Reprodução: Redes Sociais

Vulcão Cumbre Vieja

Centenas de estabelecimentos foram destruídos e milhares de pessoas precisaram deixar suas casas após a erupção do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, no arquipélago espanhol das Ilhas Canárias

Após  a cratera se abrir, no último 19 de setembro, a lava do vulcão desceu a montanha e atravessou vilarejos, lançando jatos de lava e cinzas para o ar. 

Onda de choque é gerada durante explosão do Cumbre Vieja
Reprodução: Redes Sociais

Onda de choque é gerada durante explosão do Cumbre Vieja


De acordo com o chefe do governo das Ilhas Canárias, Ángel Víctor Torres, à BBC , os fluxos de lava devastaram a paisagem e o custo dos danos causados já ultrapassa os 400 milhões de euros.

Até o momento, 870 casas foram destruídas, 27,7 quilômetros de estradas foram danificados e mais de 700 hectares de terra estão cobertos pela lava, segundo dados levantados pela agência de notícias EFE .

A lava passou destruindo tudo que estava em seu caminho, desde vilarejos até escolas e residências. No último dia 28,  a rocha líquida em brasa atingiu o mar.  Mais de seis mil pessoas tiveram que deixar o local, incluindo 400 turistas que foram transportados para a ilha vizinha de Tenerife.


Leia Também

O anúncio do momento em que o fenômeno atinge a água foi feito pelo Instituto Volcanológico das Canárias (Involcan). O encontro com o mar ainda é motivo de preocupação, já que o rápido resfriamento da lava — ao entrar em contato com as águas — causa a liberação de gases tóxicos, como o ácido clorídrico.

Ao atingir o Oceano Atlântico, na costa oeste, o fenômeno causou tremores de explosões e liberação de gases tóxicos. Além disso, nuvens de vapor branco foram avistadas, conforme a lava, que chegou aos 1.000 ºC, entrava em contato com a água na região de Playa Nueva .

O fluxo da lava foi intenso e chegou a atingir até 600 metros de largura em algumas áreas. O fenômeno atravessou a estrada costeira principal, dividiu diversas comunidades e queimou estufas de plantações e fertilizantes, causando a liberação de gases tóxicos.

Os moradores de áreas próximas foram aconselhados pelo Departamento de Segurança Nacional da Espanha a se manterem a pelo menos 3,5 quilômetros de distância.

A lava que atingiu o mar criou uma espécie de “ilha” com mais de meio quilômetro de largura, informou o Conselho Superior de Pesquisas Científicas (CSIC, na sigla em espanhol) da Espanha. Para que as pessoas continuem seguras, as autoridades estabeleceram uma zona em torno do fluxo de lava, inclusive no mar, que os residentes não devem chegar perto.

De acordo com o Instituto de Vulcões das Ilhas Canárias, a erupção ainda pode durar de 24 a 84 dias.

Fonte: IG Mundo

Veja também

© José Cruz/Agência Brasil

Covid-19: Rio de Janeiro começa vacinação de crianças nesta segunda

112957

Covid-19: Áustria terá vacinação obrigatória a partir de fevereiro

© Alex Sandro/TV Brasil

Brasil recebe segunda remessa de vacina pediátrica da Pfizer

112953

Lira diz que Senado deve ser cobrado por nova alta de combustíveis

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Síndrome de Burnout é reconhecida como fenômeno ocupacional pela OMS

© Caminhos da Reportagem /TV Brasil

Compulsão alimentar é tema de episódio do Caminhos da Reportagem

carreta-tomba

Carreta tomba na BR-262 e trânsito fica lento

Marechal Floriano recebe etapa do Campeonato Estadual de Ciclismo

Marechal Floriano recebe etapa do Campeonato Estadual de Ciclismo