ARTE

Arte, Crônicas e Poesia

Crônica: “Carnasanto!”

Publicado em 15/02/2023 às 11:17

Compartilhe

Colunas-Montanhas2_Artes

Carnaval, sinônimo de alegria, festa, magia, dias de descanso para uns, de folia para outros, assim é o equilíbrio gostoso da vida! Brasil, pode até ser um país desconhecido por muitos, apesar de termos uma longa faixa de terra no mapa-múndi, afinal não somos tão pequeninos, certo? Quando se fala em Brasil, o que vem à mente? Futebol, Rio de Janeiro, Cristo Redentor, Copacabana e Carnaval! Isso mesmo o nosso tradicional “Desfile das Escolas de Samba”, na Marquês de Sapucaí, que atrai turistas do mundo inteiro. De príncipes a plebeus, todos se rendem à Festa de Momo, num grande espetáculo, considerado uma das Maravilhas do Mundo Atual! E está em nosso território, tenho muito orgulho de ser brasileiro.

Não só o Rio de Janeiro tem seu Desfile de Escolas de Samba, São Paulo e Vitória também! O Carnaval no Espírito Santo a cada ano se supera com a apresentação dos desfiles, que acontece uma semana antes do carnaval oficial, com isso não compete com os seus vizinhos da região Sudeste, e acaba os atraindo para a nossa festa. Mas quem não gosta desse agito no “Sambão do Povo” (o sambódromo capixaba), no centro de Vitória, tem opções nos blocos carnavalescos nas praias do litoral capixaba, começando pela região norte. Guriri, localizado no município de São Mateus, além de suas praias paradisíacas o bloco de rua é a melhor forma de curtir os dias de folia. 

Pontal do Ipiranga, localizado em Linhares, é uma outra bela praia, também com seu bloco de rua que anima a galera. Chegando em Regência, ainda norte do estado, a animação corre solto “Atrás da Fubica”, um trio elétrico feito em cima de uma caminhonete, por um grupo de amigos, que toca frevo, forró, e que desde os anos de 1990, agitam o carnaval de rua dessa região Já que mencionei o ritmo do Forró, para aquela turma que não dispensa um arrasta pé gostoso, mesmo nos dias de carnaval, Itaúnas é o destino certo, uma vila conhecida como a “Capital Nacional do Forró Pé-de-Serra”. Nessa nova vila, pois a antiga foi soterrada pela areia em meados do século XX, o forró é ouvido em todos os lugares, além de dançar, o passeio pelas dunas já vale a ida a esse local paradisíaco.

Saindo da região norte em direção à capital, sábado de carnaval é dia do famoso “Banho de mar a fantasia”, em Manguinhos, balneário da “Grande Vitória”, que inclui: Cariacica, Fundão, Guarapari, Serra, Viana, Vila Velha e Vitória. Manguinhos está localizado no município de Serra, distante uns 25 km da capital. Os blocos desfilam pelas ruas do bairro, com fantasias confeccionadas em papel crepom, cabe ao mar a tarefa de desfazer essas “roupas especiais” dos foliões, é mágico ver as cores tingindo a água, conta-se que essa tradição teve início em 1958, com uma moradora local chamada “Dona Altair”, que depois de muito brincar, de pular, entrava no mar com sua fantasia, era uma diversão para ela ver a água colorida, tanto que sua família a acompanhava nesse baile de papel colorido. Hoje em dia a praia fica lotada por moradores e visitantes, que como Dona Altair querem tingir as águas do mar.

Em Vitória também temos nossos blocos, o mais famoso é o “Regional da Nair”, com público variado, a maioria são de universitários, porém, como a folia não tem idade, a ordem é se divertir, crianças, jovens e idosos se misturam nessa brincadeira, que arrasta uma multidão pelo centro antigo da cidade, principalmente nas ruas Gama Rosa e 7 de Setembro. Como o sucesso do bloco é muito grande, tiveram que criar a versão mirim, com o “Regionalzinho da Nair”, para os mini foliões, que vão até de carrinho de bebê. Outro bloco conhecido é o “Amigos da Onça”, criado por um grupo de amigos, em homenagem a “Gruta da Onça”, parque natural municipal, localizado também no centro. Esse é o bloco da diversidade, onde não há limites para diversão, basta ter um corpo para cair na agitação.

Também temos folclore em nosso carnaval, o “Boi Pintadinho” de Muqui, município distante 175 km de Vitória, na região sul do estado. Esse boi é semelhante aos outros bois Brasil afora, como o “Boi-bumbá” e o “Bumba meu boi”. De acordo com a lenda, o boi é sacrificado para atender um desejo de uma grávida, porém, ele era muito querido por todos. Acaba sendo ressuscitado, e é nesse momento que a festa acontece, o boi levanta e avança sobre os foliões, como uma dança, todos em volta do boi. O sucesso é tanto que já tem sua parceira, a “Vaca Mocha”, formado só por mulheres, e os bezerrinhos, os blocos infantis. Mas se a sua vontade é só curtir uma praia, relaxar com a família, e estamos na região sul, vamos aproveitar as belas opções que a natureza nos oferece. Você não ficará totalmente livre dos animados blocos, mas pode sim curtir seus dias em paz. Anote aí: Anchieta, Meaípe, Setiba, Iriri, Piúma, Itaoca, Marataízes, Itapemirim. Então, está sem destino, sem saber o que fazer no Carnaval de 2023? Bora conhecer o Espírito Santo, e eu te garanto, não irá se arrepender!

Kássio Barreiros Paiva – 13/01/2023.

Veja também

cultura-18-04-ft-div-gov-es

Festival Santa Teresa Gourmet completa dez anos conectando público com gastronomia, música e cultura

geral-18-04-ft-negocio-rural

Fim de semana gelado em Vitória e mais 7 capitais brasileiras

brasil-18-04-ft-flipar

Mulher que levou idoso morto a banco passa por audiência de custódia

geral-18-04-freepik-dinheiro

Senado aprova isenção de IR para quem ganha até dois salários mínimos

turismo-18-04-ft-div-setur

Rota dos Sabores mostra a diversidade gastronômica do Espírito Santo

arte-e-cronica

Crônica: Quais suas prioridades?

policia-17-04-ft-policia-amb

Polícia Ambiental flagra atividades de terraplanagem sem licença ambiental na Região Serrana

brasil-17-04-ft-div-portal-ig

Ministério Publico apura se o PCC está infiltrado na saúde pública de São Paulo

Últimos artigos de Arte, Crônicas e Poesia