Cadastro do Bolsa Família serve para o Auxílio Brasil? Caixa oficializa regras

Publicado em 12/11/2021 às 21:20

Compartilhe

104894


source
Cartão do Bolsa Família continuará sendo válido para pagamentos do Auxílio Brasil
Agência Brasil

Cartão do Bolsa Família continuará sendo válido para pagamentos do Auxílio Brasil

Começa na próxima quarta-feira (17) o Auxílio Brasil , substituto do Bolsa Família, confirmou nesta sexta (12) a Caixa Econômica Federal. O banco públicou divulgou também as regras dos pagamentos do novo programa , explicando, por exemplo, se é preciso fazer um novo cadastro, no caso de pessoas que já recebiam o Bolsa Família.

“Os cartões e senhas utilizados para saque do Bolsa Família continuarão válidos e poderão ser utilizados para o recebimento do Auxílio Brasil. As famílias que recebem o Bolsa Família pelo aplicativo CAIXA Tem, em conta Poupança Digital, receberão o Auxílio Brasil na mesma modalidade de pagamento e poderão continuar movimentando seu benefício pelo aplicativo”, divulgou a Caixa.

Segundo o banco público, portanto, as pessoas que já eram contempladas com o Bolsa Família vão migrar automaticamente para o Auxílio Brasil, não havendo a necessidade de criar um novo cadastro. Os pagamentos seguirão divididos pelo Número de Identificação Social (NIS), e começarão pelos de final 1, indo, diariamente, até o de final 0.

Em novembro, os depósitos vão do dia 17 ao 30. Confira o calendário:

  • NIS final 1: 17 de novembro;
  • NIS final 2: 18 de novembro;
  • NIS final 3: 19 de novembro;
  • NIS final 4: 22 de novembro;
  • NIS final 5: 23 de novembro;
  • NIS final 6: 24 de novembro;
  • NIS final 7: 25 de novembro;
  • NIS final 8: 26 de novembro;
  • NIS final 9: 29 de novembro; e
  • NIS final 0: 30 de novembro.

Neste mês, o valor médio do benefício ainda estará longe dos R$ 400 prometidos pelo governo federal para o programa, e deverá ser de R$ 220, o que equivale à média do antigo Bolsa Família, de R$ 189, mais a correção pela inflação. O reajuste no valor médio será de 17,84% para 14,6 milhões de famílias, abaixo do prometido, que era uma alta de pelo menos 20%.

O valor de R$ 400 depende da aprovação da PEC dos Precatórios , aprovada pela Câmara nesta semana e que ainda tramita no Senado. Vale lembrar que o valor é temporário, somente até o final de 2022, pouco depois das eleições presidenciais. O presidente Jair Bolsonaro usa o programa – e seu aumento temporário do valor – como arma pensando na reeleição, já que não há, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, como manter o valor ‘cheio’ de R$ 400 a partir de 2023 .

Veja também

Acidente km 43

Seis feridos em acidente envolvendo dois carros de passeio na BR-262

108010

‘Passaporte da vacina’: no 1º domingo, poucos restaurantes cobram comprovante

© Fernando Frazão/Agência Brasil

Covid-19: Brasil registra 22,1 milhões de casos e 615,6 mil mortes

© Pedro Souza/Atletico

Bahia respira, Grêmio agoniza e Atlético-MG faz a festa com a torcida

108004

Paulo Guedes define nomes para reestruturação do Ministério da Economia

108000

EUA: Memorial em homenagem a Anne Frank é vandalizado com suásticas

107998

Petrobras vai reduzir preço dos combustíveis esta semana, diz Bolsonaro

107993

Maduro é retratado como super herói em desenho de TV estatal na Venezuela