Bolsonaro sinaliza nova prorrogação do auxílio emergencial: ‘País rico’

Publicado em 28/09/2021 às 14:20

Compartilhe

98008


source
Governo estuda prorrogação do auxílio emergencial até dezembro
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Governo estuda prorrogação do auxílio emergencial até dezembro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) indicou que poderá prorrogar o auxílio emergencial até a definição sobre o Auxílio Brasil, programa social que substituirá o Bolsa Família em 2022. Em discurso na Bahia, realizado nesta terça-feira (28), Bolsonaro disse que o Brasil é um país rico e pode “atender os mais necessitados por mais tempo”.

A sinalização de Bolsonaro vai de encontro aos estudos do Ministério da Economia, que prevê o pagamento do benefício emergencial até dezembro. Atualmente, os depósitos da nova rodada do auxílio emergencial devem se encerrar em outubro.

A manobra aumenta o tempo do Palácio do Planalto para negociar uma solução para precatórios e pressionar o Senado em votar a reforma do Imposto de Renda. O relator da proposta, Ângelo Coronel (PSD-BA), informou que a votação só deve acontecer em 2022.

Jair Bolsonaro e a equipe econômica acreditam que a aprovação da primeira fase da Reforma Tributária poderá aliviar os cofres da União e providenciar o reajuste do novo Bolsa Família. O Planalto pretende aumentar o número de beneficiários e reajustar as parcelas de R$ 190 para R$ 300.

Veja também

© Rovena Rosa/Agência Brasil

Saúde: 53 milhões de brasileiros estão aptos a tomar dose de reforço

114688

Conta de luz terá bandeira verde em fevereiro para os mais pobres

© Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

Recursos para programas sociais triplicaram, diz ministro da Cidadania

© Tânia Rêgo/Agência Brasil

Covid-19: Brasil bate 25 milhões de casos de infectados

114682

Governo pagará bolsas a jovens e desempregados acima de 50 anos

114680

Petrobras e “Odebretch” desistem de oferta e ação da Braskem sobe 10%

114678

Aprenda a fugir de golpes em 5 passos

© Rovena Rosa/Agência Brasil

Anvisa alerta sobre diferença de vacinas pediátricas contra a covid-19