Assassinatos com serpentes ganham força na Índia

Publicado em 24/10/2021 às 12:51

Compartilhe

101856


source
Criminosos usam cobras para fazer assassinatos parecerem acidentes
Ivan Mattos/Zoológico de Brasília

Criminosos usam cobras para fazer assassinatos parecerem acidentes

Uma nova forma de cometer assassinatos tem chamado atenção das autoridades na Índia . Criminosos estão utilizando serpentes peçonhentas em homicídios, para que as mortes sejam confundidas com acidentes. Mais de 60 mil pessoas morrem dessa forma por ano, de acordo com o governo.

O caso mais recente culminou na prisão perpétua de Suraj Kumar, que assassinou sua esposa. Segundo a polícia indiana, ele teria deixado uma naja sem comer por uma semana, para que ficasse mais agressiva.

A ocorrência foi inicialmente tratada como um acidente, mas após denúncias familiares, o criminoso foi exposto. A polícia indiana ainda descobriu que Suraj tinha envolvimento com uma encantadora de serpentes e fez pesquisas sobre o assunto na internet. 

A mesma prática foi usada para a morte de Subodh Devi, assassinada por outra mulher por manter relações com seu marido. Outra prática comum na Índia é colocar uma cobra próxima ao corpo de uma vítima morta, para emular um acidente. 

Fonte: IG Mundo

Veja também

© Marcos Oliveira/Agência Senado

Senado aprova novas regras para emendas de relator

© Reuteres/Sergio Moraes/Direitos reservados

Comitê recomenda que réveillon no Rio de Janeiro seja mantido

© Bruno Corsino/ACG/Direitos Reservados

Atlético-GO derrota Bahia e se afasta do Z4 do Brasileiro

© Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

SP usará vacina da Pfizer como segunda dose em quem recebeu a Janssen

© Rovena Rosa/Agência Brasil

Covid-19: Brasil tem 22 milhões de casos e 614,3 mil mortes

© Guilherme Mansueto/Magnus Futsal/Direitos Reservados

LNF: Magnus supera Foz Cataratas e vai à final pelo 3º ano seguido

Café em Itarana

Polícia Militar recupera carga de café roubada em Itarana

© Marina Ramos/Câmara dos Deputados

Câmara aprova medidas de transparência e teto para orçamento secreto