Anvisa diz que não recebeu pedido de registro de vacinas para crianças

Publicado em 03/11/2021 às 18:21

Compartilhe

© Marcelo Camargo/Agência Brasil


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou hoje (3) que ainda não recebeu novo pedido de autorização emergencial ou de registro definitivo de vacinas contra a covid-19 para uso em crianças.

Em comunicado, a Anvisa lembrou que a aprovação da vacinação em um determinado público só ocorre a partir de uma solicitação de um fabricante. Nessa requisição, é preciso apresentar dados científicos sobre segurança e eficácia do imunizante.

O tema ganhou atenção na semana passada quando a autoridade sanitária dos Estados Unidos, a FDA, aprovou o uso da vacina do consórcio Pfizer-BioNTech em pessoas com idades de 5 a 11 anos de idade. 

Na semana passada a Pfizer anunciou que entraria com a solicitação junto à Anvisa para viabilizar a aplicação do imunizante nesse público. Contudo, segundo a agência, o requerimento ainda não foi encaminhado.

Ameaças

Na semana passada, os diretores da Anvisa receberam ameaças de morte de pessoas contra a vacinação de crianças. O caso foi denunciado às autoridades para investigação e eventual punição dos responsáveis.

Edição: Fernando Fraga

Fonte: EBC Saúde

Veja também

© Leonardo Moreira/FEC/Direitos Reservados

Fortaleza se classifica para sua primeira Libertadores

© Marcelo Cortes/Flamengo/Direitos Reservados

Vice-campeão Flamengo empata com rebaixado Sport em Recife

© José Tramontina/athletico.com.br/Direitos Reservados

Athletico-PR derrota Cuiabá na Arena da Baixada e se afasta do Z4

107879

Comissão da Câmara faz audiência na quarta sobre piso para enfermagem

© 28/10/2021_Fernando Frazão/Agência Brasil

Covid-19: estado do Rio está com risco muito baixo pela segunda semana

© Marcello Casal jr/Agência Brasil

Covid-19: Brasil registra 22 milhões de casos e 615,4 mil óbitos

© Carol Morelli/Arquivo Pessoal

Quarteto feminino bate recorde mundial de natação master

107871

Morre Gulliver, primeiro cachorro de William Bonner e Fátima Bernardes