Acusado de matar Marielle Franco, Ronnie Lessa é expulso da PM

Publicado em 09/02/2023 às 16:49

Compartilhe

Acusado-de-matar-Marielle-Franco-Ronnie-Lessa-e-expulso-da-PM

Foto: Reprodução/TV Globo

Segundo a publicação da PMERJ, o ex-militar descumpriu preceitos éticos e estatutários que devem ser seguidos pelos oficiais da corporação

Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ) divulgou em um boletim interno a expulsão de Ronnie Lessa  da corporação. Ele foi preso acusado de matar Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.

Segundo a publicação, Lessa descumpriu preceitos éticos e estatutários que devem ser cumpridos pelos oficiais da corporação. Ele responde um processo disciplinar desde 2021, quando foi condenado por destruir provas relacionadas à morte de Marielle e Anderson.

Segundo o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), o ex-militar e outros acusados pelo crime jogaram armas no mar da Barra da TIjuca, cerca de um ano após a morte da vereadora.

De acordo com afirmações da Justiça, entre as armas despejadas, é possível que estivesse a submetralhadora usada nas mortes. As investigações apontam que as armas foram retiradas de um apartamento de Ronnie Lessa na Taquara, na Zona Oeste do Rio, dias antes da sua prisão dele, em 2019. Elas nunca foram encontradas pelos agentes.

O documento que informa a expulsão de Lessa diz que ele se encontra “desvencilhado da ética e da moral que regem a Bicentenária Instituição, tornando-se incapaz de permanecer nas fileiras inativas da Corporação”.

A conduta de Lessa é destacada na determinação como “execrável” e destaca, ainda, que, ao longo do processo disciplinar, o ex-militar teve a oportunidade de se defender:

“Nota-se que com a sua execrável conduta, descumpriu preceitos éticos e estatutários em vigor, mormente o preconizado no parágrafo único do art. 14 da Portaria/PMERJ n.º 254 – IR -22, de 07 de abril de 2005, que trata acerca das Instruções reguladoras para aquisição, registro, transferência, porte, transporte, extravio, furto, roubo, acautelamento e devolução de armas de fogo e munições de policiais militares”, afirma um trecho da decisão.

Ronnie Lessa foi condenado a mais de 13 anos de prisão, em setembro do de 2022, por comércio ilegal de armas. A pena se refere a 117 peças de fuzis incompletas localizadas na casa colega de Lessa, também militar, que foi absolvido.

Fonte: Portal iG

Veja também

geral-22-05-ft-Instituto-Kautsky-Roberto-Kautsky

Eventos celebram o centenário do botânico martinense Roberto Anselmo Kautsky

geral-22-05-ft-freepik-auditorio

Semana Nacional do MEI chega nas montanhas com capacitações para microempreendedores

esportes-22-05-ft-div-atleta-jiu-jitsu

Atleta martinense representa município em competição internacional de jiu-jitsu

geral-22-02-Joedson-Alves-agencia-Brasil

Começa amanhã consulta ao maior lote de restituição do IR da história

mat-paga-22-05-mundo-ft-freepik

Descubra por que Blockchains ainda não dominaram todas as indústrias (e como isso pode mudar)

geral-22-05-ft-div-filhote-veado

Filhote de veado é tratado com mamadeira em Marechal Floriano após ser encontrado ferido

video-22-05-ft-divulgacao-grupo-danca-feminino

Grupo de danças italianas formado por mulheres é criado em Marechal Floriano

cultura-22-05-ft-divulgacao-grupo-danca-feminino

Marechal Floriano ganha novo grupo folclórico italiano feminino