Ações contra a crise hídrica asseguram abastecimento de água

Publicado em 27/05/2017 às 13:32

Compartilhe

O reservatório de Rio Bonito, em Santa Maria de Jetibá, alcançou 100% de sua capacidade, o que mantém o abastecimento normalizado na Grande Vitória. Essa condição resulta em melhor aproveitamento hídrico no que se refere ao atendimento à demanda da população e para continuar o armazenamento de água na represa.

Ações de fortalecimento do abastecimento de água da Região Metropolitana da Grande Vitória dará mais segurança hídrica aos moradores do município de Serra, parte de Cariacica, além da região continental de Vitória até as pontes da Passagem e de Camburi, e Praia Grande, em Fundão. 

Uma das primeiras medidas, ainda em 2015, para garantir a segurança hídrica na Região Metropolitana de Vitória foi a negociação com a EDP Escelsa garantindo a utilização da barragem de Rio Bonito para abastecimento humano, quando a vazão do Rio Santa Maria não fosse suficiente para atender à demanda da população. 

A represa passou a ser operada também como reservatório de água do Rio Santa Maria da Vitória, por meio de um Protocolo de Entendimentos entre Cesan, EDP, Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) e Comitê de Bacia Hidrográfica do Santa Maria da Vitória.

Além do reservatório de Rio Bonito, já foram iniciados os testes para captação de água no novo Sistema de Abastecimento Reis Magos. Este processo consiste em intervenções para abertura do Canal de Captação com o Rio Reis Magos, no município da Serra, seguido das etapas de testes da estação. O canal – que possui 500m de extensão a céu aberto revestido em concreto – foi aberto para direcionar o fluxo de água do rio até a Estação Elevatória de Água Bruta.

O Sistema Reis Magos consiste na captação de água no rio, adutora e elevatória de água bruta, estação de tratamento, reservatório de cinco milhões de litros, elevatória e adutora de água tratada de 15 quilômetros, com diâmetro de 700 milímetros, que alimentará o reservatório localizado em Serra Sede, tudo já interligado.

O novo sistema tem importância fundamental para a segurança hídrica da Grande Vitória, pois vai reforçar o abastecimento do município de Serra com uma produção inicial de 500 litros de água por segundo. A obra foi antecipada. Inicialmente, estava prevista para 2020 no Plano Diretor de Água da Cesan.

O investimento soma R$ 70 milhões e vai beneficiar diretamente 150 mil pessoas e indiretamente 700 mil, considerando que diminuirá a sobrecarga sobre o Sistema Santa Maria da Vitória. O sistema beneficiará a região de Serra Sede e entorno, com influência inclusive na região do Civit.

Esse investimento, que teve financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), está conectado com um conjunto de ações e medidas desenvolvidas pelo Governo do Estado na busca por soluções e alternativas para otimização, preservação e aumento de produção dos recursos hídricos, conferindo melhor segurança hídrica para a Grande Vitória.

RIO JUCU – O diretor-presidente da Cesan, Pablo Andreão, ressalta que mesmo com estes projetos estruturantes os hábitos de controle de consumo adquiridos durante a crise hídrica devem permanecer. “Demonstramos uma capacidade de gestão dos problemas relacionados à crise hídrica, e já garantimos o abastecimento para a parte Norte da Região Metropolitana da Grande Vitória”, destacou. 

E para a parte Sul, segundo ele, já está sendo trabalhada a implantação da Barragem do Jucu. “Não estão sendo medidos esforços para sua execução, que tem como objetivo principal o armazenamento de água, com capacidade de 20 bilhões de litros. Garante o abastecimento do sistema Jucu em cerca de quatro meses em períodos de escassez de água, sendo que a previsão é lançar o edital da obra no primeiro semestre de 2018”, afirmou.

COMITÊ – O Governo do Estado realiza diversas ações por meio do Comitê Hídrico Governamental, criado pelo governador Paulo Hartung no início de 2015. O Comitê atua, diariamente, na busca de soluções de curto, médio e longo prazo para os problemas provocados pela maior estiagem já enfrentada pelo Estado do Espírito Santo. O comitê possui papel de articulador e tomador de decisão, e é composto por diversas secretarias e autarquias do Governo.

Integram este Comitê: Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag); Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Seama); Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp); Secretaria de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb); Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh); Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf); Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA); Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); Agência Reguladora de Saneamento Básico e Infraestrutura (Arsi) e Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan).

Programa incentiva construção de barragens

A execução das obras para a construção de barragens para garantir o abastecimento de água para a população do Espírito Santo, por meio do Programa Estadual de Construção de Barragens, executado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), avança pelos municípios do interior. Das 60 barragens que serão construídas até o final de 2018, três obras estão concluídas: a Barragem Liberdade, em Marilândia, e duas barragens no assentamento rural Bela Vista, em Montanha.

Além disso, nove obras nos municípios de Nova Venécia, Pancas, Pinheiros, Sooretama, Colatina e São Roque do Canaã estão em andamento. Outras seis estão em fase final de licitação e a construção será iniciada nos próximos meses. Vinte editais para a contratação de empresa para a execução de obras estão previstos para serem lançados ainda neste ano e 22 projetos de engenharia estão em elaboração.

A Barragem Liberdade, em Marilândia, foi a primeira a ser concluída. O reservatório tem capacidade para armazenar 90 milhões de litros de água, podendo abastecer a população de 11 mil habitantes da cidade por cerca de 140 dias.

Acoes contra a crise hidrica asseguram abastecimento de agua 2O secretário da Agricultura, Octaciano Neto, explica que o Governo vem trabalhando um conjunto de ações para preparar o Estado para enfrentar futuros períodos de estiagem. “O Governo trabalha com um tripé de ações para garantir que a população tenha água disponível. O primeiro ponto é a recuperação das matas por meio do Programa Reflorestar. O segundo são as políticas da gestão dos recursos hídricos. E a terceira medida é a construção de barragens pelo interior do Estado com o objetivo de aumentar a nossa reservação hídrica para que em futuros períodos de falta de chuva a população tenha água disponível. O compromisso do Governo é entregar 60 barragens e as obras estão avançando”, disse Octaciano.

INVESTIMENTOS – O programa prevê o investimento de R$ 60 milhões, por meio de recursos destinados à Seag, para a implantação de 60 reservatórios de água no interior do Estado até o fim de 2018.

Dos 60 reservatórios, 34 serão de usos múltiplos de médio porte no interior do Espírito Santo, outras 26 barragens de uso coletivo em assentamentos de trabalhadores rurais capixabas no Norte do Estado. Estima-se que com a implantação dessas barragens sejam armazenados 67,2 bilhões de litros de água, o suficiente para abastecer 1,2 milhão de pessoas durante um ano, ou irrigar 22 mil hectares de café.

Ações contra a crise hídrica asseguram abastecimento de água

O reservatório de Rio Bonito, em Santa Maria de Jetibá, alcançou 100% de sua capacidade, o que mantém o abastecimento normalizado na Grande Vitória. Essa condição resulta em melhor aproveitamento hídrico no que se refere ao atendimento à demanda da população e para continuar o armazenamento de água na represa.

Ações de fortalecimento do abastecimento de água da Região Metropolitana da Grande Vitória dará mais segurança hídrica aos moradores do município de Serra, parte de Cariacica, além da região continental de Vitória até as pontes da Passagem e de Camburi, e Praia Grande, em Fundão.

Uma das primeiras medidas, ainda em 2015, para garantir a segurança hídrica na Região Metropolitana de Vitória foi a negociação com a EDP Escelsa garantindo a utilização da barragem de Rio Bonito para abastecimento humano, quando a vazão do Rio Santa Maria não fosse suficiente para atender à demanda da população.

A represa passou a ser operada também como reservatório de água do Rio Santa Maria da Vitória, por meio de um Protocolo de Entendimentos entre Cesan, EDP, Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) e Comitê de Bacia Hidrográfica do Santa Maria da Vitória.

Além do reservatório de Rio Bonito, já foram iniciados os testes para captação de água no novo Sistema de Abastecimento Reis Magos. Este processo consiste em intervenções para abertura do Canal de Captação com o Rio Reis Magos, no município da Serra, seguido das etapas de testes da estação. O canal – que possui 500m de extensão a céu aberto revestido em concreto – foi aberto para direcionar o fluxo de água do rio até a Estação Elevatória de Água Bruta.

O Sistema Reis Magos consiste na captação de água no rio, adutora e elevatória de água bruta, estação de tratamento, reservatório de cinco milhões de litros, elevatória e adutora de água tratada de 15 quilômetros, com diâmetro de 700 milímetros, que alimentará o reservatório localizado em Serra Sede, tudo já interligado.

O novo sistema tem importância fundamental para a segurança hídrica da Grande Vitória, pois vai reforçar o abastecimento do município de Serra com uma produção inicial de 500 litros de água por segundo. A obra foi antecipada. Inicialmente, estava prevista para 2020 no Plano Diretor de Água da Cesan.

O investimento soma R$ 70 milhões e vai beneficiar diretamente 150 mil pessoas e indiretamente 700 mil, considerando que diminuirá a sobrecarga sobre o Sistema Santa Maria da Vitória. O sistema beneficiará a região de Serra Sede e entorno, com influência inclusive na região do Civit.

Esse investimento, que teve financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), está conectado com um conjunto de ações e medidas desenvolvidas pelo Governo do Estado na busca por soluções e alternativas para otimização, preservação e aumento de produção dos recursos hídricos, conferindo melhor segurança hídrica para a Grande Vitória.

RIO JUCU – O diretor-presidente da Cesan, Pablo Andreão, ressalta que mesmo com estes projetos estruturantes os hábitos de controle de consumo adquiridos durante a crise hídrica devem permanecer. “Demonstramos uma capacidade de gestão dos problemas relacionados à crise hídrica, e já garantimos o abastecimento para a parte Norte da Região Metropolitana da Grande Vitória”, destacou.

E para a parte Sul, segundo ele, já está sendo trabalhada a implantação da Barragem do Jucu. “Não estão sendo medidos esforços para sua execução, que tem como objetivo principal o armazenamento de água, com capacidade de 20 bilhões de litros. Garante o abastecimento do sistema Jucu em cerca de quatro meses em períodos de escassez de água, sendo que a previsão é lançar o edital da obra no primeiro semestre de 2018”, afirmou.

COMITÊ – O Governo do Estado realiza diversas ações por meio do Comitê Hídrico Governamental, criado pelo governador Paulo Hartung no início de 2015. O Comitê atua, diariamente, na busca de soluções de curto, médio e longo prazo para os problemas provocados pela maior estiagem já enfrentada pelo Estado do Espírito Santo. O comitê possui papel de articulador e tomador de decisão, e é composto por diversas secretarias e autarquias do Governo.

Integram este Comitê: Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag); Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Seama); Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp); Secretaria de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb); Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh); Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf); Instituto Estadual de Meio Ambiente (IEMA); Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); Agência Reguladora de Saneamento Básico e Infraestrutura (Arsi) e Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan).

Programa incentiva construção de barragens

A execução das obras para a construção de barragens para garantir o abastecimento de água para a população do Espírito Santo, por meio do Programa Estadual de Construção de Barragens, executado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), avança pelos municípios do interior. Das 60 barragens que serão construídas até o final de 2018, três obras estão concluídas: a Barragem Liberdade, em Marilândia, e duas barragens no assentamento rural Bela Vista, em Montanha.

Além disso, nove obras nos municípios de Nova Venécia, Pancas, Pinheiros, Sooretama, Colatina e São Roque do Canaã estão em andamento. Outras seis estão em fase final de licitação e a construção será iniciada nos próximos meses. Vinte editais para a contratação de empresa para a execução de obras estão previstos para serem lançados ainda neste ano e 22 projetos de engenharia estão em elaboração.

A Barragem Liberdade, em Marilândia, foi a primeira a ser concluída. O reservatório tem capacidade para armazenar 90 milhões de litros de água, podendo abastecer a população de 11 mil habitantes da cidade por cerca de 140 dias.

O secretário da Agricultura, Octaciano Neto, explica que o Governo vem trabalhando um conjunto de ações para preparar o Estado para enfrentar futuros períodos de estiagem. “O Governo trabalha com um tripé de ações para garantir que a população tenha água disponível. O primeiro ponto é a recuperação das matas por meio do Programa Reflorestar. O segundo são as políticas da gestão dos recursos hídricos. E a terceira medida é a construção de barragens pelo interior do Estado com o objetivo de aumentar a nossa reservação hídrica para que em futuros períodos de falta de chuva a população tenha água disponível. O compromisso do Governo é entregar 60 barragens e as obras estão avançando”, disse Octaciano.

INVESTIMENTOS – O programa prevê o investimento de R$ 60 milhões, por meio de recursos destinados à Seag, para a implantação de 60 reservatórios de água no interior do Estado até o fim de 2018.

Dos 60 reservatórios, 34 serão de usos múltiplos de médio porte no interior do Espírito Santo, outras 26 barragens de uso coletivo em assentamentos de trabalhadores rurais capixabas no Norte do Estado. Estima-se que com a implantação dessas barragens sejam armazenados 67,2 bilhões de litros de água, o suficiente para abastecer 1,2 milhão de pessoas durante um ano, ou irrigar 22 mil hectares de café.

Veja também

policia-19-07-ft-gov-es-procon-es

Procon-ES apreende mais de 100 quilos de produtos vencidos em supermercados na região do Caparaó

saude-19-07-ft-gov-es

CRE Metropolitano atende mais de 3,9 mil usuários dentro do Programa de Órtese Oftalmológica em três meses

esportes-19-07-ft-divulgacao-paratleta-capixaba

Espírito Santo conquista 25 medalhas no Circuito Loterias Caixa de Natação Paralímpica

mat-paga-esporte-19-07-ft-freepik-torcida-argentina

Após título da Argentina, como está o ranking de conquistas da Copa América?

mundo-19-07-ft-BRETT-PHIBBS-aviao

Um ‘apagão cibernético’ afetou voos, bancos e instituições no mundo hoje

brasil-19-07-ft-reproducao-Ex-diretor-Petrobras-Renato-Duque

Ex-diretor da Petrobras Renato Duque é condenado a 98 anos de prisão

Lidiney e Junior

Lidiney Gobbi confirma Junior Lovatti como pré-candidato a vice-prefeito em Marechal Floriano

mundo-18-07-ft-Reproducao-Flickr-Lisa-Kristin-golfinho

Golfinhos-nariz-de-garrafa são os únicos mamíferos do mundo com ‘sexto sentido’