A menos de 1 mês, confira o que vai rolar no 2º Festival de Inverno de Guaçuí

Falta menos de um mês para a abertura da temporada de inverno no sul do Espírito Santo. Faltam menos de 30 dias para o início do 2º Festival de Inverno de Guaçuí, que acontecerá de 30 de maio a 3 de junho, feriado de Corpus Christi, no Parque de Exposições da cidade. São 17 atrações musicais, com destaque para Nenhum de Nós (31/5), Paulo Ricardo (1º/6) e Ed Motta (2/6).

Aproximadamente 20 mil pessoas são aguardadas nos cinco dias do Festival com o melhor do rock, do chorinho, do samba raiz, da MPB, do blues, do jazz e de outros ritmos para curtir o clima do entorno do Parque Nacional do Caparaó. Os ingressos estão à venda no site Blueticket (www.blueticket.com.br) e em comércios da Grande Vitória e da região sul do Estado.

No primeiro dia, quarta-feira (30), o evento é aberto ao público. A entrada será um quilo de alimento não-perecível a ser doado para a Apae e o Lar dos Idosos de Guaçuí. A programação contará com apresentação da Fames Jazz Band (Fames) e cantarola e grupo de danças italianos acompanhados do “Mini Tombo da Polenta”, de Venda Nova do Imigrante (ES), além dos shows de Alternative Stage (Guaçuí) e Termiinal (Cachoeiro de Itapemirim).

Também na quarta-feira (31), a praça de alimentação começará a funcionar às 19h, com reabertura às 11h da quinta-feira (31), funcionando de dia e à noite até o sábado (2) do evento. São 19 opções entre lanchonetes, restaurantes, food trucks, vinícola e pub, com destaque para os de comida mexicana, alemã, libanesa e oriental, vinhos e cervejas artesanais. No domingo (3), o funcionamento encerra-se às 16h30. A entrada é gratuita todos os dias até as 16 horas.

O espaço também contará com a presença dos chefs Sérgio Lima (frutos do mar), Daniel de Castro (culinária capixaba e portuguesa) e Edd Campos (BBQ Club), com fogo de chão e churrasco. Os visitantes ainda terão oportunidade de conhecer os cafés especiais da região do Caparaó. Além disso, haverá área kids e um palco 360º para apresentações musicais durante o dia, permitindo maior interação com o público.

A menos de 1 mês confira o que vai rolar no 2º Festival de Inverno de Guaçuí 44ª feira (30/5)- Uma mini Festa da Polenta no Festival de Inverno de Guaçuí

Vai ter polenta, cantarola e dança italianas na abertura do 2º Festival de Inverno de Guaçuí. No dia 30 deste mês (quarta-feira), a partir das 19h, o Parque de Exposições da cidade no sul do Estado será tomado por grupos culturais de Venda Nova do Imigrante, a “Terra da Polenta”. Um intercâmbio para o público do Festival conhecer um pouco mais dos costumes e tradições de 60% da população capixaba, que descende de italianos.

A Festa da Polenta chegará a sua 40ª edição em outubro deste ano. Criada por padre Cleto Caliman, é considerada a maior da cultura dos imigrantes italianos no Espírito Santo, reunindo em dois finais de semana, cerca de 30 mil pessoas e 1.000 voluntários.

Devido ao sucesso, a Festa da Polenta extrapolou os limites do Centro de Eventos de Venda Nova. A Associação Festa da Polenta (Afepol) criou uma versão itinerante para divulgar a cultura italiana em feiras, festas e outros eventos dentro e fora do Estado.

No próximo dia 30, o Festival terá uma mostra disso com Mini Tombo da Polenta, cantarola, rainha e princesas da Festa e o grupo de dança “Granello Giallo”, num total de 50 pessoas de Venda Nova. Todos são voluntários e prometem contagiar os visitantes com muita alegria em Guaçuí.

O presidente da Afepol, Camilo Meneguetti, está animado com a data. “Para nós é realmente muito bom, oportunidade de divulgar nossa cultura na região do Caparaó e também os eventos do nosso calendário, como a Serenata Italiana, em julho, e a Festa da Polenta, em outubro”, disse.

5ª feira (31/5)- Nenhum de Nós agita a segunda noite do Festival

Um dos grandes nomes do rock nacional no palco do 2º Festival de Inverno de Guaçuí, Nenhum de Nós se apresentará no dia 31 de maio (quinta-feira). A banda completou 30 anos de carreira em outubro de 2017. Com uma consistente marca de mais de 2.000 shows, participações em grandes festivais e milhares de discos vendidos, já recebeu inúmeros prêmios e destaques.

A banda possui uma imensa legião de fãs no Brasil e em países do Mercosul. Mantendo a mesma formação desde seu início, foi pioneira no rock brasileiro ao incluir o acordeom entre seus instrumentos.

Em junho de 2015 lançaram seu 16º disco, o álbum “Sempre é Hoje” e imediatamente iniciaram nova turnê pelo país, que rapidamente cruzou do sul ao norte do país, passando por São Paulo, Brasília, Goiânia, Porto Alegre, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Florianópolis, chegando ao nordeste antes de finalizar o ano. Duas canções já despontam como sucessos do novo disco: “Milagre” e “Foi Amor”.

5ª feira (31/5)- Tributo à Led Zeppelin no Festival

Eles são de Belo Horizonte e imortalizam os clássicos da banda de rock Led Zeppelin. O trio Led III se apresentará dia 31 de maio (quinta-feira) à noite, no Parque de Exposições da cidade.

O trio foi formado há dez anos com o intuito inicial de se apresentar em dois shows para o lançamento de uma revista de cultura com edição especial sobre Led Zeppelin. A repercussão positiva foi tamanha que Khadhu (baixo e voz), Auder Jr (guitarra) e Teofilo Laborne (bateria) não pararam mais. “Nós gostamos muito de Led e fazer shows no formato trio foi um desafio que resolvemos encarar”, conta Auder Jr.

O Led III faz uma média de quatro a seis shows por mês. São quase 60 shows por ano em todo o Brasil para um público de todas as idades. Mesmo quem não era nascido em 1968, quando surgiu a Led Zeppelin em Londres, acompanha o trio. “É incrível como o público que gosta de Led vai desde adolescentes até a galera dos 60 anos. Somos muito gratos ao público em geral que sempre nos acolhe com muito carinho e nos dá muita força pra seguir em frente”, destaca o guitarrista.

No repertório, não podem faltar clássicos como “Stairway to heaven” (“Escadaria para o paraíso”), “Rock and roll”, “Black dog”, “Whole lotta love”, dentre outros. O trio mineiro promete uma noite inesquecível na programação do Festival. “Estamos muito felizes em poder participar do Festival de Inverno de Guaçuí e vamos com tudo para mostrar a energia do nosso som para vocês”, diz Auder Jr.

6ª feira (1º/6)- Paulo Ricardo trará turnê ‘On The Rock’

Na sexta-feira (1º de junho) será a vez do astro Paulo Ricardo. Acompanhado da Orquestra Camerata Sesi- ES, o cantor trará ao palco do 2º Festival de Inverno de Guaçuí a turnê “On The Rock”, que marca uma nova fase em sua carreira e pessoal.

Canções como “Anjo e Serpente”, (já nas rádios de todo o Brasil) se misturam a rocks modernos como “Novo Single”, “Raios-X” e a dançante “Juntos”, produzida pelo DJ FTampa. Os grandes sucessos de sua carreira solo também estão presentes, como “Dois”, “Tudo por Nada” e sua versão (a única autorizada por Yoko Ono) de “Imagine”.

Vivendo um momento de grande harmonia com o RPM, Paulo se permite incluir alguns dos grandes sucessos de sua banda, como “Rádio Pirata” e “Olhar 43”. Tudo isso embalado por ousados telões, lasers, infláveis e toda a tecnologia que se tornou uma de suas marcas nesses trinta anos de carreira.

E quem quiser conferir o talento de Paulo Ricardo, vale lembrar que o cantor é um dos participantes do quadro “Show dos Famosos”, no programa Domingão do Faustão (TV Globo).

6ª feira (1º/6)- Festival de Inverno na onda da discoteca

Nos embalos de uma sexta à noite, o 2º Festival de Inverno de Guaçuí vai se render à onda disco. A banda Bee Gees Alive, cover dos famosos irmãos Gibb, fará um tributo no próximo dia 1º de junho (sexta-feira), no palco principal do evento. A noite promete um retorno aos anos 1970 para ninguém ficar parado.

A banda cover foi criada há 15 anos e é considerada a primeira brasileira e a interpretar a obra do Bee Gees. Chama atenção a semelhança das vozes dos seus integrantes com os artistas originais. Em 2003, logo no ano de estreia, Bee Gees Alive foi aclamada pela crítica especializada internacional como uma das três melhores bandas tributo em todo o mundo.

Dentre sucessos românticos e discoteca que marcaram a carreira do Bee Gees, o público vai conferir clássicos como “Massachussetts”, “Words”, “To Love Somebody”, “Stayin’ Alive”, “More Than a Woman” e “How Deep is Your Love”. Uma experiência rara aos fãs dos irmãos Gibb.

A sexta-feira do Festival de Inverno de Guaçuí ainda será animada pelos shows da banda Mushoom Storm e do cantor Paulo Ricardo acompanhado da Camerata Sesi (ES). A programação noturna está prevista para começar às 19 horas, no Parque de Exposições de Guaçuí.

A menos de 1 mês confira o que vai rolar no 2º Festival de Inverno de Guaçuí 3Sábado (2/6)- Ed Motta pela primeira vez no sul do Estado

Considerado dono da 39ª voz entre as 100 maiores vozes da Música Brasileira pela revista “Rolling Stone Brasil”, Ed Motta fará seu primeiro show no sul do Espírito Santo, no dia 2 de junho, sábado do Festival. O cantor virá com o projeto “Baile Do Flashback” que, segundo ele, foi sempre cobrado pelas pessoas que acompanham seu trabalho.

“Sempre existiu uma curiosidade em escutar minha voz em clássicos recentes da música, recebi e-mails por anos a fio com esse pedido. Resolvi montar o show com ajuda preciosa do diretor musical e pianista Michel Lima, que fez os arranjos e me ajudou a montar a banda”, conta Ed.

O repertório é repleto de temas que tocam até hoje nas rádios segmentadas, músicas que muitos conhecem, mas os artistas não ficaram necessariamente conhecidos, casos como BB&Q Band, McFadden & Whitehead, Shalamar, entre outros.

A veia principal do show é o soul/funk do final dos anos 70 e início dos 80, e conta também com baladas românticas como “Take Me Now”, do David Gates, o compositor da banda Bread.

No show, não vão faltar também os sucessos da carreira do artista como “Colombina”, “Fora da Lei”, “Manoel”, “Vendaval”, “Tem Espaço na Van”, entre outros.

Sábado (2/6)- Prata da casa na banda de Ed Motta

O guitarrista Thiago Arruda, de 37 anos, é o nome de peso no palco de Ed Motta. O músico, que mora em Vitória e integra a banda do cantor desde o ano passado, é natural de Guaçuí e se sente honrado da parceria artística e da oportunidade de se apresentar na cidade onde nasceu e mantém fortes laços familiares e de amizade.

Thiago conta que conhece Ed Motta desde a época do Orkut. Na ocasião, o sobrinho de Tim Maia conheceu o trabalho do capixaba junto com o irmão, Lucas Arruda, na banda Du Black. Em 2015, o cantor convidou o guitarrista para substituir Paulinho Guitarra em dois shows no Brasil, mas foi em 2017 a primeira apresentação com Arruda oficialmente na banda de Ed Motta, no Lollapalooza na Argentina.

Arruda descreve sua relação com o cantor. “Ed Motta é um cara que presta atenção no que você está tocando. É gratificante tocar com alguém atencioso, que sabe o que quer”, diz o guitarrista.

A menos de 1 mês confira o que vai rolar no 2º Festival de Inverno de GuaçuíO festival

Em 2017, o 1º Festival de Inverno de Guaçuí movimentou a economia do Caparaó Capixaba, atraindo cerca de 11 mil pessoas de diversas cidades capixabas, do Rio de Janeiro e Minas Gerais nos cinco dias de programação. Donos de hotéis, pousadas, restaurantes, bares, cafeterias, lojas, salões de beleza, além de operadores de turismo e passeios comemoraram a primeira edição do evento.

Em uma estrutura totalmente construída para o evento e com decoração diferenciada, seguindo o estilo de grandes festivais, atrações como Lobão, Leoni, Cláudio Zoli e Big Beatles foram bastante aplaudidas nessa edição histórica do Festival. A realização é da Contexto e Kankun Eventos.

Turismo

Uma vez em Guaçuí, o visitante pode aproveitar a estada para conhecer a região ao redor da terceira maior montanha do Brasil (o Pico da Bandeira), reconhecida pela sua exuberância natural e por possuir uma das mais representativas áreas preservadas de Mata Atlântica do país.

A região do Caparaó vem experimentando um forte movimento de pertencimento nos últimos 20 anos, com o crescimento de empreendimentos turísticos e do fluxo de visitantes, além de significativa exposição na mídia nacional.

Como chegar

Conhecida como “Pérola do Caparaó”, Guaçuí fica a 224 km da capital Vitória e é vizinha de cidades como Alegre (22,6 km), Campos dos Goytacazes, no Estado do Rio (160 km), e Espera Feliz (41,3 km) e Muriaé (109,8 km), em Minas. Os acessos ocorrem principalmente pelas rodovias BR-482, BR-484 e BR-101.