Períodos chuvosos mantém Marechal Floriano em alerta com a manutenção de estradas

Fundamentais para a economia de Marechal Floriano, que tem a agricultura, avicultura de corte e agroturismo como geradores de trabalho e renda, as estradas vicinais tem recebido trabalho intenso de recuperação após alguns meses muito chuvosos.

Periodos chuvosos mantem Marechal Floriano de alerta com a manutencao de estradas 2

Segundo o secretário municipal de Transportes, Abraão Levi Kiefer, o “Coquinho”, cerca de 70% dos mais de 500 Km de estradas vicinais existentes no interior de Marechal Floriano já foram recuperadas, inclusive recebendo cascalhamento. “Se o tempo continuar firme, conseguiremos recuperar o restante em cerca de dois meses”, adianta.

Coquinho explica que após esse trabalho haverá limpeza das cerca de 200 caixas secas existentes ao longo das estradas. “Assim que terminarmos a manutenção das caixas já existentes, começaremos a construir novas. Tudo isso deve ser feito até o fim do ano”, salienta.

De acordo com o secretário, o primeiro semestre com chuvas bem acima da média acabaram por exigir as intervenções. “Houve períodos que a situação ficou difícil por conta de tanta chuva a ponto de termos que disponibilizar máquinas e operadores durante a madrugada para desatolar caminhões com frango e ração”, pontua.

REVSOL - Além das intervenções programadas para este ano, em 2019 a Prefeitura também pretende contar com reforço de escória nas estradas vicinais, que é um resíduo da fabricação de aço da ArcelorMittal Tubarão e é nomeado pela empresa de Revsol.

“Já entramos em contato com a ArcelorMittal, que se dispôs a fornecer o material, desde que nós o busquemos”, detalha.

E além do Revsol, outro produto que seria resíduo já está sendo aplicado nas estradas vicinais. Trata-se da “fresa”, material que é retirado do asfalto da BR-262 que está sendo restaurada no trecho que corta justamente o município de Marechal Floriano. “A fresa é usada tanto nas estradas de chão quanto para recuperar as vias asfaltadas que estão danificadas”, finaliza o secretário.