Celebração católica e luterana atrai 110 pessoas em Marechal Floriano

“A mão de Deus nos une e nos liberta”. Este foi o tema central de uma celebração entre católicos e luteranos na noite desta terça-feira (15), na Igreja Matriz de Sant’Ana, Marechal Floriano. Na abertura da cerimônia foi cantado o hino “Que bom que você veio” e no encerramento houve confraternização com direito a polenta com carne moída, doces e salgados.

Celebração católica e luterana atrai 110 pessoas em Marechal Floriano 4O padre Emanuel Ramadhani, o pastor Lindomar Raach e o estudante e futuro pastor Daniel Pagung, conduziram a celebração iniciada às 19h30min, que teve um total de 110 participantes católicos e luteranos. A celebração acontece no período considerado como “Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos”.

Após o hino da entrada, os cristãos presentes cantaram oito cânticos semelhantes das duas igrejas até o encerramento da celebração. Após leituras bíblicas, o pastor Raach falou na pregação sobre políticos que são verdadeiros “inimigos do povo de Deus são responsáveis pelas administrações e principalmente as enganações”.

O pastor teceu comentários sobre o livro de Êxodo, abordando a Deus, a libertação e o amor como saídas para uma vida saudável e não a corrupção que reina nos corações de parte dos políticos, a violência, vícios malignos com drogas e ainda o racismo. “Temos que nos dar as mãos por que somos o povo de Deus e, por isso, fortes”, concluiu.

Celebração católica e luterana atrai 110 pessoas em Marechal Floriano 2O padre Ramadhani também fez breves interpretações bíblicas em meio às orações finais com a participação dos três celebrantes que permaneceram lado a lado no altar e o mesmo na saída da igreja. Na próxima sexta-feira (18) haverá outra celebração semelhante, com padres e pastores luteranos, desta vez na igreja luterana do Bairro Santa Rita de Marechal Floriano.

Celebração católica e luterana atrai 110 pessoas em Marechal Floriano 3O católico Luiz Magnago, que deu apoio em todos os momentos do encontro religioso, principalmente na organização da confraternização após a celebração, disse que a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos é uma atitude democrática no meio religioso onde prevalece a amizade, respeito e amor ao próximo independente do lado religioso. “Foi sincero foi o abraço de todos ao final das orações e cânticos”.