Conceição do Castelo recebe o Programa das Águas e da Paisagem

O maior programa ambiental já realizado no Espírito Santo chega a Conceição do Castelo, na Região Sudoeste Serrana. Com o Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem, é a primeira vez que o Estado desenvolve investimentos com ações integradas para uso coordenado da água, do solo e recursos relacionados ao desenvolvimento sustentável. O evento foi realizado na Praça Matriz, com a presença do governador Paulo Hartung, do prefeito Christiano Spadetto, do presidente da Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), Pablo Andreão, e de autoridades estaduais e municipais. Esta segunda etapa de obras para implantação de sistemas de esgoto feita pela Cesan também vai abranger Divino de São Lourenço, na Região do Caparaó, e Marechal Floriano, também na Região Sudoeste Serrana.

O Sistema de Esgotamento Sanitário de Conceição do Castelo está localizado na sede do município, onde serão implantados 16.209 metros de rede coletora de esgoto, e realizadas 2.398 ligações de imóveis na rede. As obras, que devem ocorrer até o primeiro semestre de 2020, compreendem três elevatórias de esgoto bruto e uma Estação de Tratamento de Esgoto, com capacidade para tratar 15 litros por segundo. Os bairros abrangidos são: Zorzal, Centro, Cecília Larrieu, Arthur Soares, Pedro Rigo, Nicolau de Vargas e Silva, Itamar e Campo Verde.

O governador Paulo Hartung iniciou sua fala pedindo que sejam contratados profissionais locais para a execução da obra do Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem. "Esta obra vai ajudar a potencializar o turismo na cidade, pois depois de pronta vai gerar mais emprego, renda e oportunidades. As cachoeiràs serão limpas, com a participação de todos, para se tornarem atrativas aos moradores e visitantes", pontuou. Lembrou ainda que a cada um real investido em saneamento gera economia de 4 reais em saúde preventiva 'na veia'. "Cuidar da saúde preventiva combate doenças transmitidas por veiculação hídrica".

De acordo com o presidente da Cesan, Pablo Andreão, serão 39 milhões de litros de esgoto tratado por mês, despoluindo os rios Castelo e Itapemirim. A população atendida diretamente será de 5.898 habitantes, alcançando o crescimento até 2033, quando a cidade terá 6.461 habitantes. A prioridade será para a mão-de-obra local, com a geração de aproximadamente 300 empregos diretos e indiretos.

Andreão disse ainda que o pacote de obras do Programa Das Águas e da Paisagem segue a diretriz ambiental do Governo, que é o saneamento básico para o campo e para a área urbana. O presidente da Cesan observou, ao final de sua fala, que em Congresso do qual participou há uma semana, novo dado foi informado, de que em local em que há esgoto e água tratados, a idade média aumenta em sete anos. "É essa expectativa de qualidade de vida que trazemos hoje para Conceição do Castelo".

O prefeito de Conceição do Castelo, Christiano Spadetto, afirma que esta é a maior obra de infraestrutura do município, pois a cidade não tem esgoto tratado. “Estou feliz por esta conquista e penso que, por muitas vezes, obras de saneamento que ficam ‘invisíveis’ não são consideradas. Mas o reflexo que elas trarão para as gerações futuras demonstra a importância que estamos dando à qualidade de vida e ao meio ambiente”.

Esse investimento, que tem recursos da Cesan e do BIRD, está conectado com um conjunto de ações e medidas desenvolvidas pelo Governo do Estado para melhorar a qualidade de vida da população. O Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem tem abrangência estadual e já está com obras em andamento nos municípios de Dores do Rio Preto, Irupi, Iúna e Ibatiba.

Esta série de ações integradas do Governo do Estado prevê outros projetos para a Região do Caparaó que vão beneficiar os recursos hídricos e o meio ambiente. Uma delas vai ampliar a cobertura florestal do Estado, com o programa Reflorestar; e o projeto Mangaraí, na Bacia do Rio Jucu; e institucionalizar e promover boas práticas agrícolas e de construção de estradas vicinais para contribuir para a redução do assoreamento e poluição dos corpos d’água.